28.11.13

Floricultura Winge

 A Floricultura Winge é a maior Garden Center de Porto Alegre. Situada num espaço totalmente diferenciado com mais de 30.000m², bem no coração da zona sul, precisamente na Dr.Mário Totta, 963, bairro Tristeza. A Winge é aquele tipo de floricultura que entramos e não temos pressa de ir embora, tudo é lindo, charmoso e aconchegante. A atmosfera do lugar é magnífica. Muitas flores diferentes, fontes, borboletas, pássaros e aquele cheirinho de mato no ar. Ótimo para alma e para renovar as energias. 
 
 Para quem não conhece a Winge, vale muito uma visita.  Lá,também, encontramos tudo que precisamos para nossa casa ou jardim; arranjos variados, arbustos, árvores frutíferas, ferramentas, insumos, moveis e decorações.
Adorei os momentos que passei na Winge, além de estar entre amigos, tive a chance de estar em meio à natureza e registrar belíssimas imagens.  Aqui no blog, postei algumas fotos para dar uma ideia de tudo que a floricultura Winge oferece aos nossos olhos todos os dias.








   



 
 
 
 


 
 
 

8.11.13

Novo CD dos Subtropicais - Produto da Modernidade

Subtropicais é um bando de músicos inquietos e curiosos. Cinco cabeças que falam de tudo e catam o suor e o sangue, a paz e a guerra. Uma banda batizada sob o frenético toque de tambores, cheia de grooves e insinuações rítmicas, mas também capaz de viajar por climas psicodélicos, distorcidos ou suaves. Um quinteto de rock, que toca samba, bossa nova e música latina, pois pra eles tudo isso é rock.
Partindo desse princípio que tudo é som, palavra e ritmo, os Subtropicais apresentam seu novo CD - Produto da Modernidade - com 14 músicas, que  vão do hard rock ao samba-jazz, propondo um quebra-cabeça que extrapola o universo do Rock Gaúcho.
O repertório do álbum traz canções de black music, como a faixa título e o funk-baião Oliveira, com ecos do mangue beat pernambucano. Os ritmos regionais aparecem na milonga A Cruz dos Anos e no xote psicodélico Esfinge, enquanto temas mais introspectivos como Deixa Cair, Samba Triste e  O Que Esperar? - se misturam a canções mais suaves, como a balada Quando o Frio Chegou ou a otimista Venha O Que Vier. Outras músicas do CD apresentam um lado mais pesado, onde os riffs de guitarra e a força da bateria, baixo e percussão se sobressaem no arranjo, como nas faixas Terra à Vista e Aconteceu. Além das canções mencionadas, tem ainda o rock O Espantalho, que é atravessado por um refrão de samba a moda dos antigos carnavais. Finalizando com dois temas instrumentais: Soneca, que flerta com a bossa nova; e o reggae/dub Da Guiné. As composições são de Alexandre Marques, com produção de Mauro Pogorelsky. As gravações tiveram a participação de músicos gaúchos como Fernando do Ó, Mateus Mapa, Leonardo Boff, Yanto Laitano, Alexandre Kumpinski, Lucas Ricordi, Lucio Vassarath, entre outros. O projeto gráfico do álbum é de Marco Boni e as fotos de Daniel Zart.

 Ficha técnica:
Alexandre Marques: violão, guitarra e vocais.

João Ortácio: guitarra  e vocais.

Leonardo Brawl: contrabaixo.
Marcelo Brack: percussão e vocais
Diego Velasco: bateria
 
Links:
 
Fotos do show de lançamento do CD dos Subtropicais - Produto da Modernidade no Teatro Bruno Kiefer, sexta, 01 de novembro. 
 

 
 
 
 
 


 
 
 

 



 

Fotos Gestante

Gestante Renata e Rafael -  Locação Veleiros do Sul - Porto Alegre